MODALISBOA BONDLESS

‘Boundless’ é o título da próxima edição do ModaLisboa. Os ponteiros já marcam a contagem decrescente para as apresentações das colecções Outono/Inverno 2017/18 dos designers nacionais. Na sequência dessa mesma contagem regressiva encontro-me eu curioso e expectante por tudo o que esta edição ainda está por trazer.

Este ano é o décimo ano em que assisto na primeira pessoa à ModaLisboa acontecer. Com isso devo dizer e felicitar a Fundação ModaLisboa por toda a constante adaptação e sobrevivência face ao país em que vivemos (Portugal). Como sempre, o título atribuído a cada edição reflete esse estado contemporâneo da sociedade na visão de seu momentum limitado.

É sem limites (= ‘boundless’) que esta edição se quer apresentar. No entanto, sucedendo a edição passada é continua a ausência de nomes como Alexandra Moura, Carlos Gil, Miguel Vieira, Nair Xavier e mais recentemente SAYMYNAME é a uma marca mais fora do calendário. Existem várias razões pelas quais os designers não estão ou não se vão apresentar na plataforma.

É curioso que foi exatamente à 10 anos atrás que Catarina Sequeira, que assina a marca SYMYNAME desfilou a sua colecção pela primeira vez na ModaLisboa e foi nessa mesma época em que eu assisti ao meu primeiro desfile de moda.

Um vazio, uma sensação de nostalgia devo dizer. Momentos, histórias que permanecerão como boas lembranças. Com o vazio há espaço para novas aventuras, novos romances.

Para marcar essa diferença ‘boundless’ este ano a Modalisboa a diferença dos anos anteriores realiza-se no CCB (Centro Cultural de Belém). Apresentar-se-ão 24 coleções entre ‘Sangue Novo’, LAB e Designers consagrados.

ModaLisboa promete que ‘Boundless’ é:
‘dinâmica, participação, interatividade e energia’.

Até então temos que esperar que chegue o fim-de-semana de 9,10,11 e 12 de março.

Sem mais artigos